Passar para o conteúdo principal
Idioma

Segurança, Qualidade e Ambiente

Abrir

Notícias

Abrir

A minha conta

Idioma

Processo de Brasagem

Conheça o processo de brasagem bem como as diferenças para a soldadura.

Quer aprofundar este tema com os nossos especialistas? Contacte-nos →

processo_brasagem_banner

Diferença entre soldadura e brasagem

Há montagens que não necessitam de ser soldadas para alcançar os desempenhos mecânicos: alguns tubos, por exemplo, podem ser montados graças a juntas constituídas unicamente pela fusão do metal de adição.

Ao contrário de uma soldadura, não são as peças que se fundem mas sim o metal de adição na execução de uma brasagem. A adição de energia deve, pois, permitir atingir uma temperatura superior à temperatura de fusão do metal de adição mas uma temperatura de fusão inferior à das peças a montar.
Ao contrário da soldadura, não há uma continuidade química na brasagem: é o metal de adição fundido, de natureza diferente da das peças, que faz a montagem.

As ligas de brasagem podem ser ligas de cobre, estanho ou prata, por exemplo, e apresentam-se regra geral sob a forma de vareta.

Funcionamento do processo de brasagem

Há vários tipos de processos de brasagem: a brasagem fraca e a brasagem forte.

Brasagem fraca 

As temperaturas de fusão do metal de adição para executar uma brasagem, com o processo de brasagem fraca, são inferiores à 450°C.

Brasagem forte 

A brasagem forte, também denominada brasagem dura, envolve temperaturas de trabalho superiores a 450°C. A brasagem forte inclui a soldobrasagem (brasagem com chama muitas vezes realizada por meio de um maçarico).
A título de exemplo, para uma brasagem numa liga de prata-cobre, as temperaturas de fusão utilizadas para montar as peças estão compreendidas, em média, entre 600°C e 900°C. As brasagens de latão ou cobre realizam-se a uma temperatura de fusão que pode variar entre 700°C e 1180°C.

Metal de adição e preparação

É importante trabalhar o estado da superfície das peças antes da brasagem. Para isso, importa atuar sobre três propriedades físico-químicas: a capilaridade, a molhagem e a difusão. 

A capilaridade 

A capilaridade deve ser bem definida para que o metal de adição suba entre as duas superfícies a reunir e a brasagem possa ter lugar corretamente. Por isso, importa calcular este desvio a introduzir e colocar os tubos de forma que respeitem esse desvio, para que a ligação com o metal de adição seja ideal.

A molhagem 

Fala-se de molhagem quando o metal de adição em fusão se espalha sobre um material sólido, ou seja, as peças a reunir. Há dois tipos de molhagem: a molhagem total e a molhagem parcial.

A difusão 

Fala-se de difusão quando há uma migração de uma espécie metálica, em geral do metal de adição para as peças.


A Air Liquide, líder mundial de gases, pode dar orientações sobre os aspetos técnicos da brasagem com maçarico. A Air Liquide pode fornecer os gases combustíveis necessários à execução de peças brasadas e soldadas, como o acetileno e, evidentemente, o comburente: o oxigénio. Podemos igualmente fornecer gás inerte – no caso da soldobrasagem em MIG-, no cumprimento das normas em vigor.

As nossas soluções para soldadura

Soldadura industrial →

Arcal →

Albee →

Flamal →

Exeltop →

Tem alguma necessidade ou pergunta sobre as nossas soluções?
Complete este formulário, a equipa da Air Liquide entrará em contacto consigo o mais rapidamente possível.
Endereço

Sociedade Portuguesa do Ar Líquido, Arlíquido Lda
Rua Dr António Loureiro Borges, 4-2º
Arquiparque-Miraflores
1495-131 Algés - Portugal